Qual linguagem você de usar para seus testes de aceitação automatizados?

Utilize a linguagem que os programadores usam

Testes de aceitação automatizados não devem ser desenvolvidos de forma isolada, sendo assim, tendo estes escritos na mesma linguagem que a sua aplicação utiliza irá garantir que os programadores estarão engajados e irá maximizar a probabilidade de ter estes testes mantidos junto com o código de sua aplicação.

Mesmo que os testadores sejam responsáveis por escrever e manter os testes automatizados, tê-los na mesma linguagem que os programadores utilizam significa que os programadores podem fornecer suporte a qualquer problema que os testadores tenham, tornando o ambiente mais propenso a colaboração entre desenvolvedores e testadores. Os testadores também irão adquirir conhecimento a respeito da linguagem utilizada pela a aplicação principal, o que significa que eles estarão mais aptos a corrigir um bug quando encontrado.

Algumas linguagens fortemente tipadas, como C# ou Java, podem parecer difíceis aos testadores a primeira vista, porque são mais verbosas do que linguagens dinâmicas, mas elas são na verdade surpreendentemente fáceis de entender devido ao excelente suporte fornecido por IDEs, como, Visual Studio ou IntelliJIDEA

Deixe os testadores escolherem a linguagem

Se os testadores de software são os responsáveis por escrever e manter os testes de aceitação automatizados, então faz sentido permite-los escreve-los na linguagem que eles preferirem.

Linguagens de script dinâmicas, como Ruby e Python são particularmente populares entre testadores, visto que são leves para instalar e fáceis de aprender com um prompt interativo, tal como Interactive Ruby Shell (IRB).

O benefício de os testadores escolherem linguagens dinâmicas como Ruby, é que não há custo de licença (ao contrário do C#, que precisa do Microsoft Visual Studio) e isso significa que todos os testadores tem acesso irrestrito, assim como um número ilimitado de agentes de build para executar testes como parte da integração contínua.

Como os testadores desenvolvem suas habilidades nessas linguagens, eles podem rapidamente criar scritps para executar tarefas repetitivas necessárias às suas histórias ou testes exploratórios, tal como a criação de múltiplos registros ou a reconstrução do banco de dados.


TRADUÇÃO/ADAPTAÇÃO DE PRIDE AND PARADE, DE ALISTER SCOTT
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s